Remédios para emagrecer: conheça seus perigos

Remédios para emagrecer: conheça seus perigos

Confira agora os riscos a sua saúde ao tomar aquele famoso remédio milagroso para perder alguns quilos.

Há diversos remédios com função de emagrecimento circulando nas farmácias, como por exemplo a sibutramina ou o saxenda. Alguns até se conseguem sem receita médica, mas o que muitos não sabem é como eles podem causar danos ao corpo e a saúde de quem os toma sem necessidade. É fundamental entender esses riscos para, justamente, evitá-los.

Como os remédios para emagrecer reagem no organismo?

Remédios para emagrecer: conheça seus perigos

Sabendo que existem vários tipos de remédios emagrecedores, devesse entender que cada um reage de uma forma diferente no corpo. Alguns trabalham com a região do hipotálamo, que é a parte do cérebro que cuida do controle de apetite. E alguns fármacos trabalham com a redução da fome (catecolaminérgicos) e outros com a saciedade (serotoninérgicos), este ultimo é ligado diretamente com a serotonina, hormônio que produz a felicidade.

  • Entre os inibidores e saciadores de apetite temos a: Sibutramina e o Eles agem sobre os neurotransmissores e retardam o processo da comunicação entre o estômago e a mente. Fazendo com que se sinta satisfeito mais rapidamente.
  • E entre os redutores da absorção da gordura, temos: Xenical. Ela também aumenta a saciedade, mas ao contrário dos outros, ela lida com a diminuição de absorção da gordura no intestino.

Efeitos colaterais dos Remédios para emagrecer e riscos a saúde:

Esses Remédios para emagrecer são indicados apenas para pessoas obesas com IMC igual\superior a 30 kg/m2 ou com sobrepeso seguido de doenças. Todos esses saciadores de fome e inibidores de gordura, quando ingeridos, são feitos para trabalhar num corpo adiposo e fora de forma, muitas vezes com gordura no fígado, diabetes, colesterol alto e entre outros problemas da obesidade. Se alguém com todas essas características já sofre com os efeitos colaterais, imagina quem não tem nenhum desses quadros. Quando alguém fora deste quadro consome as substâncias, veja o que acontece:

Consequências: aumento da pressão arterial e dos batimentos cardíacos, prisão de ventre e diarreias, insônia, nervosismos, irritabilidade, náuseas e dores abdominais, mudança na tonalidade da pele, dos olhos e fezes e até mesmo coisas mais graves como desnutrição, anemia quando usado em grandes períodos de tempo, podendo evoluir para o raquitismo.

Além de efeitos colaterais, listamos alguns fatores decisivos para NÃO tomar esses tipos de remédio:

  • Vício:

Já pensou, fazer seu corpo se acomodar tanto com as substâncias do remédio e criar uma dependência? Pois é isso que acontece quando ingeridos. Por conta das misturas medicamentosas, as pílulas do emagrecimento contêm antidepressivos, anfetaminas e outros tipos de drogas para ansiedade. Tudo isso é uma bomba no seu organismo e causa vício.

  • A mudança de hábitos:

É importante lembrar que seus maus hábitos alimentícios permanecem. Apenas o consumo de remédios emagrecedores não muda os comportamentos desenfreados em relação a comida. Ao parar de tomá-los, toda a rotina anterior volta, caso não tenha um autocontrole grande.

Não acredite em apenas 1 médico:

Algum médico te indicou remédios inibidores da fome ou inibidores de gordura, mas você não tem obesidade, nem doenças que a acompanhe? Desconfie. Nem sempre é bom seguir 100% aquilo que o médico diz, consulte outros profissionais e veja suas orientações para não cair numa furada e acabar se prejudicando.

Espero que tenha esclarecido as consequências de um mau uso medicamentoso.

Obrigada e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *